CREA-BA assina acordo de Cooperação com o Instituto gestão Brasil! Confira a matéria.

Acordo de Cooperação assinado CREA Bahia e PGRS DigitalO presidente do CREA-BA Eng. Agrim. Joseval Serqueira, tendo como objetivo proporcionar aos profissionais inscritos e habilitados na instituição, uma oportunidade de emprego e renda, formalizou na data de 10/08/2021 o acordo de cooperação com o Instituo Gestão Brasil, para capacitá-los a utilizar a ferramenta informatizada PGRS Digital para a elaboração de Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS.

Este acordo tem por objetivo a Concessão de treinamento gratuito no sistema PGRS Digital para elaboração de Planos de Gerenciamentos de Resíduos Sólidos (PGRS), para os profissionais habilitados pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado da Bahia, por meio de vídeo aulas do Módulo de Elaboração de PGRS Digital a serem disponibilizadas no portal do CREA-BA. O sistema PGRS Digital foi desenvolvido com base na Lei Federal 12.305/2010, o qual realiza a classificação automática dos resíduos segundo as legislações vigentes (ABNT NBR 10004, CONAMA, SISNAMA e ANVISA), bem como, as legislações locais municipais específicas, de modo a atender as demandas por mais efetividade e eficiência nas atividades dos profissionais.

Em virtude da Política Nacional de Resíduos Sólidos Lei 12.305/2010 e do Novo Marco Regulatório do Saneamento Básico Lei 14.026/2020, prevê-se o surgimento de uma grande demanda por profissionais habilitados para elaborarem PGRS para os grandes geradores de resíduos. Conforme determina a legislação, os municípios baianos não poderão continuar coletando os resíduos sólidos das empresas e por isso terão que exigir o PGRS, pois do contrário, estes municípios não conseguirão comprovar sua sustentabilidade econômico-financeira o que poderá, segundo a lei, gerar até penalidades aos gestores municipais.

O sistema PGRS Digital é um sistema informatizado, disponível em plataforma web que auxilia técnicos e profissionais habilitados na elaboração de PGRS, eliminando 100% do papel, reduzindo custos, reduzindo o tempo de elaboração em pelo menos 70% e o envio totalmente eletrônico para o município, permitindo também envios de documentos e arquivos como anexos.

Matéria publicada em: Instituto Gestão Brasil. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.